Páginas

TAG: isso ou aquilo?

28 fevereiro 2016 2 comentários


Quando a gente ama não existe abismo, a gente salta de um abismo pro outro como se fosse a coisa mais fácil do mundo. — O clone
Hoje vai rolar mais uma TAG diferente das últimas, é um pouco mais objetiva. É a TAG Isso ou Aquilo, onde eu vou escolher entre 2 opções. Eu vi essa TAG no blog Leitor It, e achei legal; resolvi então responder. Se puderem, deem uma passadinha no blog dessa pessoa, é um blog incrível, e a pessoa é simpática.

Essa TAG é menor do que a Se eu Perguntasse, tem somente 14 perguntinhas, é mais como um jogo rápido de pergunta-resposta mesmo. Talvez eu seja crucifixada em uma das questões? Talvez... Quase certeza. Mas faz parte! Espero que gostem.


1- Áudio book ou Livro?
R: Nunca tive a oportunidade de entrar em contato com o áudio book, mas acho que deve ser legal...

2- Capa dura ou Capa mole?

R:
 Capa dura. Capa mole não dura um dia na minha mão, sério.

3- Ficção ou Não ficção?

R:
Não ficção. Não sou muito chegada em ficção não, mas tem algumas que chamam minha atenção.

4- Fantasia ou Vida real?

R:
Vida real, claro! Tão emocionante, quanto. Fantasiar, para poder incrementar a realidade.

5- Harry Potter ou Crepúsculo?
R: Crepúsculo, filme. Não me condenem, mas eu nunca li Harry Potter. Agora se for no quesito filme... Harry Potter, sem dúvidas.
6- E-book ou Livro físico?
R: Livro Físico, por favor!

7- Comprar ou pegar emprestado?
R: Comprar. Pegar emprestado nem sempre dá certo...

8- Livro único ou Série?

R: Prefiro livro único, assim tenho contato com mais histórias.

9- Livraria física ou Online?

R: Livraria física; pois gosto de me perder lá dentro. Livraria Cultura é um dos meus lugares favoritos, parece outro mundo.

10- Livro longo ou Curto?
R: Longo, mas não tão longo; nada com 500 ou 600 páginas, por favor.

11- Drama ou Ação?
R: Ação. Tem uns dramas que me dão preguiça...



12- Ler no seu canto ou Tomando sol?
R: Ler no meu canto, de preferência no meu quarto, ou em consultório médico. 

13- Chocolate quente, café ou chá?
R: Café só se for com leite; então chocolate!

14- Ler resenha ou decidir por si?
R: Ler resenha. Sou fraca para frustrações, então procuro evitá-las o máximo que posso.

Bom, foi isso. Gostaram? Sintam-se a vontade para responder a TAG, é bem gostosa de responder; e me avisem aqui, para eu visitar o blog com a TAG, conhecer um pouco mais de vocês.


Projeto: Somos Todos Nacionais. Valorize!

26 fevereiro 2016 12 comentários
Vivemos em momentos de descobertas que ficam sendo adiadas incansavelmente.
Essa semana eu estava vagando pelos blogs, visitando e lendo coisas interessantes; até que me deparei com um post que me chamou muito a atenção, sobre escritores nacionais, e o descaso que está acontecendo com o trabalho deles. Confesso que já tinha percebido essa questão, não só literária, mas como geral, onde a maioria dos brasileiros só valoriza o que vem de fora, e não percebe os tesouros que tem.

Como nos últimos anos tentei melhorar minha visão da minha própria nação (e não, eu não vou para de amar a Coréia, ou os trabalhos deles; porque sou realmente fã! E eles merecem muito!), eu passei a dar mais chances para que os trabalhos do Brasil me encantem. Seja em uma música, livros, filosofia... Enfim, dar algumas oportunidades de ser surpreendida. E tem dado certo!

Então fui atrás de maiores informações sobre esse projeto e vi que cabia exatamente no que eu vinha fazendo, e tinha planejado para 2016, pelo menos na parte literária. Resolvi participar do projeto, e vou fazer de tudo para conseguir ler 1 livro nacional mensalmente; vai me fazer muito bem, eu tenho muitos livros nacionais aqui, nem tão novos assim, mas que nunca li.

Então vamos ao projeto, que é simples mas de uma utilidade inacreditável. Foi uma ideia do Alfrêdo do blog Paginou (visitem ele, é um lugar encantador). E aqui está o link do projeto Somos Todos Nacionais. Abaixo vou deixar maiores informações do Projeto, pelas palavras do próprio Alfrêdo (o famoso Ctrl+C + Ctrl+V) :
Como o projeto vai funcionar? É super simples: leia um livro nacional por mês (a partir de fevereiro oumarço até dezembro de 2016). De preferência, algum livro que não seja escrito por um youtuber
Quem pode participar? Quem quiser. Não é necessário ter blog/canal para participar. Para a interação durante o projeto ser facilitada, vamos usar a tag #SomosTodosNacionais no Twitter e Instagram.
Tenho um blog/canal e quero ajudar na divulgação, o que eu faço? Faça um post ou grave um vídeo falando sobre o projeto, incluindo o link desse post, as "instruções" para participar e coloque nopost/descrição do vídeo a lista dos participantes. Caso possível, use o banner do projeto (clique aqui) no post. Recomendo também que indique alguns livros para aqueles leitores que desejam participar mas não sabem o que ler. Quando o vídeo ou post for ao ar, me avise nos comentários para que eu possa colocar o link entre os participantes.

Essas sãos as informações sobre o Projeto, e agora eu vou indicar alguns livros, que me agradam, para quem quiser participar também, e que não tem ideia de por onde começar... Serão livros que eu já li, ou que estão na minha lista de leitura desse ano, e ainda os que compõem a minha WishList. Não irei classificá-los, pois não sei fazer isso direito...


                  
Sim, eu sei que o Frederico é youtuber, mas eu o conheci pelo blog dele, gostei do jeito que ele escreve e dos assuntos; então não seria eu mesma se eu não inclusive os dois livros que eu quero muito ler. Mas também são os únicos dois escritos por um youtuber... E eu acho que esses valem a pena, sim! É nacional, que mal tem?

Tendo esclarecido minha paixão pelo trabalho do Elboni, e justificado a inclusão dos livros dele nas minhas indicações... Essa foi a minha apresentação e entrada no Projeto! São leituras leves e tranquilas. Espero que vocês tenham gostado das minhas indicações.

Por que você também não participa desse projeto lindíssimo? Vai fazer um bem danado para você, e para muitas pessoas, acredite. Leitura nunca é demais!

As imagens dos livros, eu tirei da internet (Google) e no blog Paginou mesmo!



Redes sociais, mas nem tanto assim.

24 fevereiro 2016 4 comentários
Mas na verdade, aquelas pessoas que riem demais, no fundo, são aquelas que experimentaram a pior de todas as dores.
Hoje o papo é sobre as Redes sociais, mas não o que costumo ler por ai, sobre largar... Ok, talvez seja um pouco! Mas é mais para como eu lido com as minhas redes sociais. E olha que tenho muitas hein! Umas que nem lembro mais a senha, como o fotolog, de 2009.

Vou começar listando todas as redes que me lembro de ter:
  • Snapchat: eis.sarinha
  • What's: tenho 2, por ter 2 chips.
  • G+: aqui do lado tem um gadget dele
  • Skype: sarah.rodri.santos@outlook.com
  • E-mail: sarah.rodri.santos@hotmail.com
  • WordPress: ICogitare - eu vou reformar lá o blog, nunca postei lá, e estou pensando em deixá-lo apenas para contos. O que acham??
Pouquíssimas redes sociais, não? Haha Eu uso boa parte delas diariamente. Mas sou do tipo de pessoa que esquece o celular durante quase todo o dia, acreditem. Ah e eu ODEIO atender chamadas de telefone, não gosto mesmo de falar ao telefone; mas se for para mandar uns áudios no wpp, tudo bem. Não gosto de gente desesperada no telefone, não consigo.

Na verdade eu uso mais as redes sociais para em aproximar das pessoas, e não me distanciar. Antes eu me distanciava muito, confesso. Ficava na internet o tempo todo e mal prestava atenção nos outros ao meu redor, mas agora eu não sou assim; estou mais desligada dessa necessidade de ficar verificando informações na internet.

É uma forma de mostrar para quem a gente gosta e está distante da gente, que estamos bem, que sentimos saudades, mostrar o que estamos fazendo; pois nem todo mundo pode ficar perto, ou junto o tempo todo. As redes têm que ser sociais! Não podem ser excludentes, embora eu saiba que o são; deveria ser um lugar para conhecer pessoas e lugares, e não para ficar espalhando veneno e destruição psicológica.

Então é isso, por hoje. Vim somente apresentar minhas redes sociais e mostrar como costumo lidar com elas, e o que acho delas... Mas me diga, e você? Como você lida com suas redes sociais? Até que ponto elas te aproximam do mundo mundo, e das pessoas, que você deseja? Você tem noção do poder de transformação que essas redes sociais carregam, ou a intensa conexão que ela pode criar entre você e um Alguém do outro lado do mundo? Gosto de imaginá-las como uma janela aberta para o Outro, o outro lado, para o desconhecido.

Ah e mais uma coisinha: deixem nos comentários os tumblr's e/ou twitter de vocês, que irei vistar e seguir, com os quais eu simpatizar.


Antes uma indigestão no estômago, do que uma no coração!

22 fevereiro 2016 2 comentários
Você já teve a impressão de que era uma pessoa meio diferente, como se tivesse alguma coisa muito especial para oferecer ao mundo, mas que ninguém consegue enxergar? Então você sabe exatamente como eu me sentia, como era ser eu. — Desconhecido
Hoje a resenha vai ser de um dorama muito cute, que me cativou dia após dia com sua forma fofa de abordar o redescobrimento de si. Eu terminei o Oh My Ghostess ano passado (2015) e demorei para vir contar, eu sei; mas tenho dúzias de doramas para fazer resenha, e continuo assistindo alguns, o que complica um pouco, mas estou tentando...

A HISTÓRIA:
Essa comédia-romântica a lá mistério fantasmórico (essa palavra não existe, eu sei) narra a transformação que Na Bong Sun (Park Bo Young) sofre ao encontrar a fantasminha camarada Shin Soon Ae (Kim Seul Gi), que não consegue se desprender da sua vida terrestre por acreditar que tem uma questão mal resolvida: sua virgindade. Já dá para perceber que essa fantasminha não é nada puritana, não? Em algumas cenas nota-se seu desespero real em deixar sua virgindade no mundo terreno; e isso a aproxima dos meninos do restaurante (os 4 cozinheiros engraçados do Kang Sun Woo). Já em compensação... Na Bong Sun tem medo até de falar com o chefe, Kang Sun Woo (Jo Jung Suk), e vive sendo atormentada por sua mediunidade.
 
 
Como se não bastassem os encontros delas, Na Bong Sun tentando ao máximo evitar Soon Ae, e as sucessivas possessões; Soon Ae elege o patrão de Na Bong Sun como seu salvador, e usando o corpo da moça, tenta seduzi-lo e livrar-se desse assunto mal resolvido, para que possa partir de vez.
Porém na vida, e na morte, nada é tão simples. Soon Ae reencontra família, o ex-amor, conhece uma senhora que tenta a todo custo enviá-la aos céus como um espírito bom ainda; e começa a descobrir que sua virgindade era o menor dos problemas, que ela tinha um grande propósito ao ficar pela Terra e ao encontrar seu ex-amor. Mais difícil ainda, se torna sua missão e partida, ao se apegar a sua possuída, e ao descobrir-se apaixonada, mesmo depois de morta.
 

 
São tantas coisas que tornam esse dorama um dos meus favoritos, que fica difícil elencar, mas vamos lá:

ELENCO:
Como não amar esse elenco maravilhoso? Deles eu só conhecia a Kim Seul Gi, que fez também Flower Boy Next Door (2013); mas me encantei logo no primeiro episódio pela Park Bo Young e cai de amores pelos protagonistas bonitões talentosos: Jo Jung Suk (lindíssimo e carismático) e Im Jun Hwan (que interpretou o misterioso policial Choi Sung Jae, que é muito importante no drama.).
O quarteto da cozinha também arrasou de tal forma que cativaram geral. As encrencas na cozinha eram as melhores. A equipe teve uma química boa, foi divertido vê-los em ação; principalmente, eles confusos com as mudanças de comportamento da única mulher da equipe.
                   

 

Desenvolvi um carinho muito especial pela Park Bo Young, mesmo sendo o primeiro trabalho que vejo dela; pois ela interpreta praticamente dois personagens, a tímida, introvertida, inexpressiva e assustada Na Bong Sun, e a divertida, ousada e destrambelhada Na Bong Sun possuída por Soon Ae. Sério, as duas são completamente diferentes, e durante os episódios, os personagens vão percebendo as mudanças drásticas de comportamento; inclusive, esse é o motivo pela transformação de Na Bong Sun, ela consegue mudar graças a presença da fantasminha em sua vida, e com a amizade que elas desenvolvem; uma ajudando a outra.
 

ROMANCE:
Fica impossível não se encantar com o triângulo amoroso que vai se formando. Ainda mais porque Kang Sun Woo é um fofo e fica todo desorientado ao se ver apaixonado. Mas no fim das contas, quem também auxilia Na Bong Sun em assumir sua personalidade real, é ele. Ele também a ajuda a viver um amor platônico, a tanto tempo reprimido, e que a inspirava a continuar na cozinha, mesmo que fosse como uma simples ajudante. Ele a encoraja, e cuida dela. É possível ver o afeto emanando do personagem.


 
   
 

Agora como não rir dos ataques de Soon Ae ao corpinho do chefe? Impossível! Ele fica todo assustado, é muito engraçado; pois quebra totalmente o esteriótipo de homem aproveitador, e etc... As cenas ficaram realmente ótimas, embora tenham sido os pedidos de socorro de Soon Ae.
Que é outra, ao se ver amando novamente; é muito nobre com Na Bong Sun, e sua condição (que ela está morta). Embora seja difícil abrir mão do que se ama, ela não faz nenhuma burrada, e muito menos atenta contra a garota, que é sua amiga; mesmo porque ela já sabia dos sentimentos de Na Bong Sun, e tenta respeitá-los o máximo que pode; mesmo que isso lhe custasse sua infelicidade enquanto estivesse na Terra.


SHIPPANDO O CASAL 1 E 2:
Tem um personagem que tira a nossa concentração, logo aviso; que é o Gordon (Kwak Si Yang); uma criatura incrível, um fofo. Shippei mesmo! E acreditei que iria rolar um romancezinho ali. Pode até ter rolado; ao meu ver pintou um clima, um carinho; mas nada além disso... Gordon até ajudou Bong Sun a colocar a cabeça no lugar, foi amigo dela quando ela ficava nesse ir e vir de ser possuída pela Soon Ae.
Teve cena de ciúmes sim. Gordon quase causou a discórdia. Também... Lindo daquele jeito, e a moça toda prestativa... Só podia dar asneira na cabecinha do chef.



IRMÃO AFIM DE VIRAR MARIDO; E PAI COM SAUDADE:
A confusão fica formada quando o inocente e ingênuo irmão da Soon Ae se encanta pela fisionomia de Bong Sun, sem saber que aquela que lhe tratava com preocupação e certo afeto, era na verdade sua irmã mais velha.
O drama deu um bom espaço para o pai e irmão de Soon Ae, e muitas vezes foram a chave para alguns encontros e descobertas; como por exemplo, ela achar o pai, foi porque ajudou o irmão que estava caído na rua... O roteiro ficou mais grandioso com os dois personagens, pois deu um toque a mais de tristeza e mistério; afinal, nem tudo são flores, amor e sexo! Eles representaram bem o luto, a saudade de um ente querido. E o pai nunca se convenceu de fato do motivo da morte da filha; o que só fortalece o laço entre eles.

MISTERIOSO POLICIAL E BOM MARIDO:
De bonzinho, nem a cara. O ator fez tão bem o papel, que fica nítido -quando precisa estar- a alma sombria do personagem; mas mais do que isso, tão sombria, que beira o desumano mesmo. As ações dele, de início, contraditórias e misteriosas; passam a ser suspeitas. Mas ai fica difícil decidir se gostamos ou não dele; pois ele realmente veste a máscara da vida normal de policial, de bom marido... E eu creio que pelo menos no que diz respeito a se casar, o verdadeiro Oficial Choi teve participação, o coração realmente deve ter acelerado por sua esposa, tanto dele, quanto de sua alma sombria. A alma, mais na intensão de salvar uma outra alma; de não permitir que ela se esvaísse só por mera vontade.
É bem complicado falar desse personagem. E ele deixa um misto de sensações e sentimentos. Vale muito mais a pena assistir ao dorama, e tirar suas próprias conclusões. Eu gosto do personagem; e acho que ele não é de todo vilão, só um desavisado da vida, alguém que sofreu a vida inteira, e não teve sossego.
 


OST DE ACELERAR O CORAÇÃO:
Estou para declarar que essa é a OST mais linda que já vi; mas tenho medo de encontrar uma melhor e me arrepender... Mas lá vai: É, se não a melhor, uma das melhores ost's que já ouvi, sério! Apaixonante, e eu gosto de todas as músicas. Combinam tão bem com o clima do dorama, as cenas bem elaboradas, com os personagens tão vívidos... Não acreditam? Ouçam então:

Claro que tenho minhas favoritas:




Essa foi a resenha do Seja Frugal para esse dorama amabilíssimo, e super recomendado; que bombou em 2015. Ele deixa uma marca muito boa na gente. E trata de assuntos muito importantes, como a perda de um ente querido, a timidez, a falta de personalidade, crimes suspeitos, sentimentos de angústia, espiritualismo, romance...
Agora se você já assistiu... Vem cá, e me conta o que achou!

Título: Oh My Ghostess/ Oh My Ghost
Gênero: Comédia, Romance, Fantasia
Episódios: 16
Emissora: tvN
Roteiro: Yang Hee Seung
Exibição: 02 de Julho de 2015 / 22 de Agosto de 2015
Classificação:  


 
Desenvolvido por Michelly Melo.