Postagens Pop

Carta para o meu Eu de 7 anos atrás.

13 fevereiro 2017 Nenhum comentário
Amanhã vai ser diferente. Acredite!

Hey, você.

Deixe disso e vê se me dá atenção! Eu sou você. Com mais arrependimentos e lágrimas derramadas do que você, mas ainda assim você. Você não faz ideia do que vai acontecer com você, minha cara. E não é como se desistir fosse uma opção, ou eu não estaria aqui, certo?

Eu vejo e sinto seu sofrimento, mas aguente firme daí que eu vou dar conta quando chegar aqui. Acredite em mim, você não vai querer correr desse mundo sem antes experimentar as coisas incríveis que tem por aqui. Você ainda vai sentir vontade de desistir, vai correr sem rumo, vai sentir que falta na sua respiração, ainda vai doer. Mas faça as pazes com a dor, por favor, sou madura demais para ficar regredindo ao seu choro sempre que me sinto destruída, quero e preciso que seja meu apoio, consegue fazer isso por mim?

Sabe, eu posso te levar para conhecer todos esses lugares que você tanto sonha acordada olhando pela janela da sua sala de aula. Não se importe com quem está ao seu redor, você não vai precisar deixá-los para isso, ele já terão ido. Mas ainda assim vai ser divertido! Você sempre foi sozinha... Aceite que você é diferente e evite sofrer por antecipação, em breve você vai perceber que todo mundo é. E todo mundo é meio sozinho e louco, a questão é que nem todo mundo tem acesso a isso.

Crendo ou não, você está no caminho certo, embora pareça confusa. Você quer se salvar, e salvar o mundo. Você não vai conseguir nem um, e nem o outro. Mas se te serve de consolo, talvez o mundo te salve!

Daqui onde estou, me lembro como eram amargas suas lutas, que também são as minhas, os propósitos ainda são os mesmos, só a intensidade é que mudou. Não luto 1 ou 2 dessas, lutas diversas. Luto as nossas, e luto pelos outros agora. É fantástico!

Então sempre que sentir vontade de desistir, pense no que você mais deseja de todo o coração. Ser alguém melhor é algo que você pode fazer, e fez. Eu não teria chegado até aqui se não fosse por você. Desculpe pelas cicatrizes e pelas memórias que vai ter que carregar, mas amadurecer não é fácil, e ninguém me ensina, então só vá lidando com isso da melhor maneira que conseguir.

Se der ria, chore mais, você precisa desabar de vez em quando. Ah, e você não está tão sozinha assim, sabe aquele homem incrível de quem você sente tanta falta? Ele está com você, sempre esteve. Você é a princesa dele, e só dele. Você mal se lembra dele, mas chora sempre pensando nele, isso é bom sinal, não deixe de pensar nele por medo de chorar e de doer. Saudade é sentimento bonito que vai embalar seu lado emocional, a gente precisa disso para sobreviver na selva de pedra.

Deixa disso e vem pra rua menina! Vem conhecer o que eu não vou poder te mostrar, coisas que só dependem de você. Porque se você não fizer, eu também não fiz!

Atualizando desejos de leitura!

10 fevereiro 2017 1 Comentário
A gente vai levando como dá, colocar umas reticências aqui, outras acolá... Evitar uns pontos finais não faz mal, ás vezes...
Olá, faz um tempo que não faço uma WishList Literária, não? 
Ano passado eu comecei a ler para valer, e esse ano não será diferente, ainda mais com o TCC por ai... Então vim falar de 5 livros que quero muito ler, não sei quando terei condições financeiras de comprar e nem espaço para guardar, mas quero muito mesmo.




Para onde VAI* o amor.

Você já leu algum desses livros? Conta pra gente como foi a experiência, se você recomenda, ou não, a leitura. Vou adorar saber sua opinião.

Não existe idade nos sonhos!

09 fevereiro 2017 Nenhum comentário
O problema as vezes são os outros, não você!
Ás vezes fico calculando se estou velha demais para viver. Sério. Minhas vontades não condizem com o que o mundo espera de mim. Faculdade, pós-graduação, trabalho, família, carreira, bebedeira...

Quando foi que o mundo passou a me interpretar tão erroneamente? Eu não me encaixo, e sempre soube disso. A dor passou quando eu parei de lamentar e passei a criar meu próprio mundo, nele tem meus defeitos e minhas manias, mas acima de tudo isso, tenho meus sonhos. E não são poucos!

Por vezes eu tentei sufocá-los, guardá-los na gaveta do quarto, mas eles saem, ele querem ar, eles querem ir ás ruas e gritar que existem. Toda vez que vejo algo bom, eles dançam em círculos e me provocam, querendo que eu vá dançar com eles. Ah, se você soubesse o quanto tenho que resistir para não dar a louca e segui-los de uma vez.

Mas dá medo, sabe? O desconhecido dá medo, não saber do que é capaz e até onde se consegue ir, é no mínimo imprevisível. Desperta meu lado mais criança, só que o medo é de gente grande. É de gente que sabe que não vai ter ajuda da família a vida toda, e que não quer depender de ninguém. Mas quem é que com míseros 21 anos consegue ser autossuficiente por completo? Ninguém.

Então é isso! É auto sabotagem da minha parte. Sem vergonha alguma posso admitir isso para mim mesmo. Não sei até quando vou conseguir levar essa situação, mas creio que não por muito tempo, porque se tem uma coisa que a gente não consegue negar é a nossa essência. Nela tudo fica gravado para sempre, e os sonhos estão por ali, podem até mudar, serem reescritos, mas sempre vão estar ali, rondando, suportando a triste realidade da vida.

Cheguei a um ponto da minha vida que tudo está me empurrando para o desafio, então porque não me desafiar a sonhar? Na pior das hipóteses, eu posso conseguir o que sempre desejei... Ou, posso simplesmente continuar tentando outras coisas.

Sei que não nasci pro canto, para dançar, ou até mesmo para socializar, mas fazer o que se meu destino é ser mesmo incongruente e cheia de curvas?

Se eu tomar minha decisão amanhã de manhã, não farei nenhum anúncio, sinto muito. Mas acho que não quero platéia, sei que quem sentir vontade e curiosidade vai saber me procurar, vai conseguir me achar, porque eu serei visível apenas a quem procura com o coração e acredita de verdade.

Não quero fracassar, claro que não. Mas umas doses de adrenalina não me farão mal algum, então eu aceito o risco que vier, ouvirei as críticas que estão por vir, e transformarei tudo em poesia, canto, melodia e algumas frases de apoio moral para quem precise. Afinal, não estou sozinha nessa caminhada dos sonhos...


Os levo comigo, não como um fardo.

07 fevereiro 2017 Nenhum comentário
O destino surpreende a quem anda por conta própria.  Kelly Mathies
Vai me perdoando, mas eu não sinto tanta falta dos nossos dias assim. Sei que parece cruel pensar que todos os anos que dividimos foram mais como um testes para mim, do que verdadeiramente a sensação de sermos uma família.

Não é fácil conviver do café da manhã até o horário do jantar, muito mal humor, questões difíceis a resolver e que ninguém tem paciência de nos ensinar de verdade, tem TPM, conversinha fiada... Isso só não é para mim, aliás, eu sempre fui diferente, e bem sabemos. Você sacudiu minhas certezas, até eu ter vontade de te expulsar, mas me faltou coragem. Fui mais forte conforme ia vivendo cada hora com vocês, fui aprendendo que a vida seria mais difícil, e sabendo que eu não os teria ao meu redor, meu coração amargou com uma dose extra. O desconhecido é ainda mais assustador do que o rotineiro.

Não nos misturamos, na verdade eu deixei bem clara essa divisão. Não foi como se pudessem me obrigar a compartilhar daquela ideologia torta dos 15 anos. Mas não se ofenda, entendo que não tinha como ser diferente. Não é como se tivéssemos sido aversivos uns com os outros, eu só não me sentia em paz, era como se eu ficasse tempo demais parada ao lado de quem não queria dar um passo rumo aos meus destinos.

Então o tempo veio e nos afastou, foi para o meu bem, e o seu também. Nem me lembro de tudo, e muito menos quero. Com o passar dos anos tudo o que vou ser capaz de lembrar vai ser como uma risada era tão contagiosa, como alguém conseguia dormir e ser quase um gênio, como alguém tinha tanta certeza de suas habilidades... Vou me lembrar das nossas despedidas, regadas a músicas da Cássia Eller e algumas lágrimas.

Eu também chorei, admito. Foram tempos importantes, por mais insuficiente que eu tenha me achado, foram especiais, são minha raiz. Quando eu precisar voltar para algum lugar, sei exatamente para onde ir. Ao redor daquela piscina, relembrando como nossos corações sentiam o aperto do fim próximo, em como nossas mentes inquietas e coração arrependidos se uniram em uma só voz em Só Hoje (Jota Quest) já prevendo que depois de nós viriam muitos outros, tão especiais quanto a gente. O arrependimento é um sinal de eramos sim importantes uns aos outros, só não sabíamos disso na época. Será que deixei algum punhado de boas lembranças em seus corações?

Seríamos superados. E sempre que encontro um ou outro daquela época, percebo quanta coisa fútil ficou pra trás, e só as marcas ficaram, algumas melhores do que outras, mas ainda assim um olhar de cumplicidade que brilha e grita de alma para alma: eu estive no seu passado! Obrigada.

Santa Clarita Diet: Resenha Parcial

05 fevereiro 2017 Nenhum comentário
O ser humano tem medo de pontos finais. — O Escritor
Não sei se já é de conhecimento público mas Netflix novamente estourou. Fiquei sabendo ontem pelo Twitter dessa nova série, e confesso que de início fiquei meio receosa mas a curiosidade, que o trailer despertou, foi maior e eu me rendi completamente. Eu já suspeitei do que se tratava (só não sigo aqui, para não estragar a surpresa para quem ainda não percebeu, ou não assistiu. Corre lá!).

Comecei a assistir hoje de manhã e parei no 4º ep, por motivos de que eu tinha que ajudar minha mãe em casa. Então a resenha será parcial. Bem curtinha.
Um casal de corretores vive na normalidade , até que ela passa por mudanças dramáticas que os levam ao caos, com mortes e destruição, só que de um jeito positivo.
O elenco está dos melhores, o que só me fez ter mais vontade de assistir, afinal, o que a lindíssima Drew Barrymore não faz bem? Ele é uma diva atuando, e confesso que ela como protagonista dá um ar a mais de comédia e sofisticação a um tema tão incomum.
Outro que me conquista toda vez que entre em cena é o Timothy Olyplant, como resistir a esse talento? Ainda sinto o papel dele um pouco mais como um suporte, mas creio que ele vá me surpreender.
E para fechar com chave de ouro, ainda tem uma menina que fez ponta (e que ponta hein!) em um especial de doramas: Dramaworld. Para quem já viu , vai saber quem é ela de cara, Olivia Hewson.
Vou deixar algumas fotos do elenco. Apreciem comigo!

Sinceramente? Estou amando!
O enredo está muito bom, nos deixa curiosos sobre como o casal irá resolver essa situação totalmente inusitada. As cenas não são tão pesadas, quanto poderiam ser, e olha que eu sou bem cagona. Não sou fã desse tema central, mas estou sendo cativa pela forma como essa aventura está sendo dirigida. Afinal, o que você faria no lugar dela? Eu surtaria!

Os personagens não são entregues de bandeja para gente, eles vão se desvelando, a gente vai percebendo seus pontos fracos e fortes, e vai percebendo o quanto uma família pode ser unida sem nem ao menos precisar se esforçar tanto, são laços que se movimentam de acordo com a vida de cada integrante curioso dessa família nada típica.

Creio que até o 10º ep, eles vão virar essa cidade de cabeça para baixo. Vou assistir tudo essa semana e venho contar minha opinião completa sobre essa história que tem tudo para me deixar ligadíssima!

Recomendo que assistam também, vale muito a pena, não é nada clichê, e te pega de surpresa em alguns atos (principalmente os dela haha).


Carinha nova + Teste

04 fevereiro 2017 Nenhum comentário
Todos os dias eu procuro caminhos para fugir de mim mesma. — I don’t need help
A verdade é que estamos de carinha nova. UHUL!

Há meses eu estava com aquele layout MARAVILHOSO, confesso, mas dei uma pequena enjoada, então mudei.
Gostei da mudança? Não muito. Na verdade eu gostei mesmo foi da fonte.
Eu ainda preciso organizar os marcadores do blog, acho que tem muitos e eu posso dar uma enxugada.
Como podem ver eu ainda estou brigando com o Menu Autora, mas em breve eu resolvo isso, e coloco uma fotinho e me apresento para quem está conhecendo o Seja Frugal agora...
Duvido que eu chegue até Abril com o mesmo layout, mas tudo bem.
Mas me digam vocês, gostaram? O que acharam dessa mudança?

Mas não foi só sobre a mudança de layout que eu vim falar não, vim anunciar que agora está mais do que decidido que vou postar meus escritos em inglês também. Não precisa me julgar, você vai entender bem porque.

Como já cansei de falar, sou formada em inglês pelo CNA, desde meus 16 anos (por ai), e voltei para refazer o último ano e tentar um certificado top. Porém eu não tenho com quem praticar (triste realidade), então nesse último (dessa vez é o último mesmo hein CNA, não volto mais, desculpa kkk) semestre eu vou me aplicar mais. O que significa que as séries e filmes serão predominantemente assistidos em inglês com legenda em inglês. Escrever aqui no blog vai me ajudar a treinar estruturas, jeitos de falar, ou seja, vai me estimular a ter um vocabulário melhor e vai me enriquecer no idioma.

Esse ano ficou bem claro o quanto o inglês me ajuda, eu vejo os dramas tailandeses todos em inglês (com exceção de um, que falarei mais para frente aqui), e eu leio no tempo da legenda mesmo sem pausar, consigo compreender a maior parte (palavras chaves não...) e presto atenção do drama em si. Ou seja, que mão na roda né!

Então era esse o aviso, não se assustem caso vejam algo em inglês aqui... E eu creio que começarei com textinhos curtos, meio aleatórios mesmo... E caso queiram me indicar temas para escrever sobre (em inglês) podem me dizer, vou adorar.

Aquela menina de 5 anos...

03 fevereiro 2017 Nenhum comentário
Sou o rascunho remendado de algo que nem deu certo...
Ás vezes tudo o que eu desejo é ter uma dose de coragem e desistir de mim mesma, mas não consigo. Por mais que eu já tenha me decepcionado comigo mesma eu insisto. É como se parte de mim ainda fosse capaz de acreditar que sou capaz de construir um lugar melhor para que meu coração finalmente encontre aquela sensação gostosa e tão incessantemente narrada nos livros e scripts pelo mundo, que não sei se chamo de paz, paz interior, equilíbrio, felicidade, alegria, o famoso "Valeu a pena!", ou apenas mais um quadro muito bonito em que a vida pode se transformar.

É como se houvesse uma forma harmoniosa de todos os meus remendos se aceitarem e conviverem, e isso não doesse mais, não queimasse. Minha tolerância a frustração deve ser maior do que estimei, logo eu tão impaciente, resolvi esperar pelo amadurecimento de alguém como eu.

Esse lance de viver é realmente muito complexo, não tem ordem, nem ritmo pré-determinado, ás vezes a gente empaca, outras vezes a gente nem percebe, e quando viu já não é quem era.

Será que dói arrancar todos os band aids, ou é melhor esperar até que caem naturalmente? Minha mãe não se sente mais confortável para me ensinar sobre as coisas frugais sobre a vida, quem dirá sobre essas dores que vem no pacote e ninguém avisa...

Quando eu era criança eu tomei uma decisão que salvou a minha vida: eu não desistiria de mim, só porque o mundo não era o meu lugar. Porque ou o mundo recuaria quando eu fosse maior, ou eu seria aniquilada. Pois é, eu não fui aniquilada, nem anulada, no máximo golpeada algumas milhares de vezes, mas isso fortalece e engrandece a alma, acredite em mim. Se a pequena Sarah pudesse conversar comigo, sinto que de alguma forma ela não me seria grata por tudo o que fiz e consegui vencer, mas ela sentiria orgulho por eu ter sido incapaz de desistir de uma vida, de mim mesma, porque foi exatamente essa a escolha dela aos 5 anos de idade em frente aquele parquinho. Viver. Amar mesmo que doa.

Espero que a pessoa que sou agora consiga agradecer a pessoa que serei daqui uns 10 anos, se eu chegar até lá...

Obrigada Min Yoongi!

02 fevereiro 2017 Nenhum comentário
Ser forte, na verdade, não é ser indestrutível e impenetrável. É saber lidar com sua fraqueza. E viver, mesmo sabendo que a vida, eventualmente, pode te deixar em pedaços. E que esses pedaços nunca serão consertados ou refeitos. No máximo, serão colados e, mesmo assim, nunca serão como antes. Ser forte é abraçar esses pedaços remendados e saber que são eles que definem quem você é  — Iolanda Valentim.
Ultimamente eu tenho ouvido muito as músicas do Min Yoongi (vulgo Suga do BTS), e tenho revirado emoções que a tempos eu mantinha escondida no meu porãozinho interior. Eu não sei nem um terço da história desse homem, é verdade, mas o pouco que sei já me mostrou, e pelas composições a que ele dá voz, principalmente as de sua autoria, que ele é alguém que passou por muita coisa, e que não foi algo simples.
Acho que todos nós temos nossos demônios, mas em nossas mãos eles sempre parecem maior do que nós mesmos, e isso é um tanto quanto desolador. Saber que de nós é capaz de sair essa parte tão... Diferente e cruel. Conviver em harmonia com todos os seus lados é um trabalho para vida inteira, mas o mundo não tem paciência, ele sempre estará te pressionando e colocando-o em situações cada vez mais desconfortáveis, vai criar a oportunidade perfeita para que cada um de seus demônios saia; e o que a gente pode fazer? Apenas assistir é suicídio, interferir pode custar sua vida também... Lutar contra o que temos de mais precioso: nós mesmo.
Desde pequena vivo em um mundo que me é hostil, e até ai nenhuma novidade, porque conforme fui crescendo o rancor deu lugar á consciência de que com outras pessoas é igualmente duro, e muitas vezes pior; e que são esses momentos nos transformam nas pessoas que somos, eu quis acreditar nisso e lutei dia e noite contra mim mesma para ser Alguém que eu admirasse e que fosse possível eu ser.

Então conhecer NamJoon e Min Yoongi trazem de volta todas as lutas que eu já tive que enfrentar, e que eu ainda enfrento no silêncio da minha personalidade. Não é exagero dizer que eles me fortalecem, pois quando alguém que a gente admira muito narra ou passa por coisas semelhantes as que você viveu/vive pontes vão sendo construídas, e de repente (mas não é de repente...) a pessoa que era uma ilha solitária com um oceano a rondando, passa a ter uma vida mais confortável, não diria feliz, mas mais humana. E eu agradeço a qualquer pessoa, coisa ou sentimento que seja capaz de construir pontes com a minha alma e coração!
 
Desenvolvido por Michelly Melo.