Páginas

O que vem por ai

15 janeiro 2015 Nenhum comentário

Música: Na maldade - Sorriso Maroto part. Anitta

Talvez seja eterno, mas não dure tanto. — Pedro Bial


Não sei se vocês já sentiram como se algo grande estivesse vindo? Não aquelas coisas ruins, ou um mal pressentimento; mas uma certa ansiedade, como se a vida estivesse prestes a ganhar Algo (isso mesmo, algo com a maiúsculo) novo, e que é desconhecido e que pode mudar toda uma vida. 
É claro que com essa sensação vem um certo medo, bate aquela insegurança maldita que nos deixa com o pé atrás com tudo; mas nem sempre a gente deve travar no lugar. Já vi muita coisa inesperada resolver uma vida, e não só em filmes; mas é claro que a gente nunca vai sequer cogitar isso enquanto está vivendo tal momento, porque temos a estranha mania de sempre aumentar tudo, negativar os pontos bons e se iludir com pontos nem tão bons assim. Por quê? Tem várias teorias, e no fundo, sabendo de muitas delas, acredito que nada sei ainda.

Assim como não sei o que vai me acontecer amanhã, mas posso tentar planejar, prever, vislumbrar e idealizar. Quem sabe amanhã não descubro que sou rica? Rainha de alguma terra distante, perdida por esse São Paulo a fora? HAHAHA parei com a brisa, juro.

Isso nunca vai cair dos céus no meu colo - mesmo porque não acho essas realidades paralelas as melhores para eu escolher, sinceramente -me julguem se quiserem, me processem, não ligo...- se de alguma forma tivesse que vir até mim, nem seria um Vir, seria eu ir e isso ai vir ao mesmo tempo, se não nada anda; é tudo baseado no quanto eu me "esforço" para algo, o quanto caminho em direção a esse algo. E muitas vezes nem vemos por onde estamos andando, essa é a verdade; quando vimos, PA (não, não é pá, aquele instrumento de jardinagem, não! Não sei como escrever sons disso Sem or, então finjam que entenderam, por favor...), damos de cara na parede com tudo, sem aviso prévio; claro, ou a gente está olhando para outro lugar, ou distraído com qualquer outra coisa, menos nossa própria vida e bem estar... Assim dificultamos o curso das coisas, certo? Mas mesmo assim, elas ainda tem uma força incrível e tentam tomar o controle, é nessas horas que nos sentimentos no meio do nada, não enxergando mesmo um palmo a nossa frente e com receio de dar o próximo passo. Afinal, quem nos garante que não tem um precipício no passo seguinte?

Nesses últimos 2 anos eu andei abrindo um olho, com ele aberto eu finalmente pude ver tudo o que já perdi (não tudo, porque tudo é maneira de dizer, porque impossível contabilizar minhas perdas; mas boa parte, sim, as mais marcantes, pelo menos). O que aconteceu comigo nos anos que antecederam esses 2? Muita coisa, e pouca coisa, ao mesmo tempo. Meu passado é mais caidinho do que qualquer coisa, mas com um olho aberto eu já pude ver muitas diferenças. O plano é seguir abrindo o segundo, porque ai sim, quem sabe, eu não esteja preparada para encarar uma vida de verdade.

Quanto tempo isso vai levar? Por quanto tempo o medo ainda vai abraçar meus pés? Até quando eu não vou dar tudo de mim para mim, e por mim ? Bom, não sei ao certo as respostas, mas com o andar da carruagem, creio que são respostas positivas e favoráveis a mim. E se não forem também, a gente vira a carruagem e vai andando, que ganhamos mais. 
Comecei a descobrir e trabalhar esse traço na minha personalidade, de tirar todo o proveito das coisas, sejam elas horríveis ou boas, tanto faz; a gente tem mesmo é que se adequar a vida em algumas situações, não dá para mandar sempre... São os famosos imprevistos que entram em cena, quando algo não planejo tem que rolar, não sabemos como e nem onde vai dar, mas tem que ser, e vai; aos trancos e barrancos, a gente chega em algum lugar e dali a outro, e assim por diante.

Mas e se a gente não chega onde queria? A gente tenta chegar uai, mas se realmente não der, não tiver jeito, por que não aproveitar onde se está, creio que todos os lugares tem algo para nos dar, resta á nós sabermos aproveitar e enxergar essa janela/oportunidade.

Quem é Luke Evans?

13 janeiro 2015 Nenhum comentário

Música: Ciara - Body Party

Alguns jovens sofrem mais que os adultos, descobrir o mundo é pior do que sobreviver há ele.  — O histórico de Fred

Ano passado eu comentei sobre esse ator lindíssimo, e fiquei um pouco sem tempo, e com preguiça -confesso- de escrever esse post com o pouco que sei sobre esse cara incrível.
Assim como eu, você já teve ter visto essa carinha linda nos filmes por ai e nem se tocou haha Mas estou aqui para refrescar a sua memória, porque ele vale a pena ser notado novamente...Mas como não sei muita coisa, foi compartilhar o que sei e notei, e falar um pouco de cada filme que já vi com ele. E como não começar pelo filme que me prendeu completamente a minha atenção, onde eu o conheci e o notei de fato: Os três mosqueteiros, depois passaremos para os dois filmes da trilogia O Hobbit onde Luke aparece lindo, e logo após Drácula de novo. Acho que depois disso, não serei eu a única apaixonada por ele aqui haha

E aqui vocês podem pesquisar mais sobre ele e seus trabalhos.

  1. Os Três Mosqueteiros: Vai me dizer que nunca ouviram sobre essa lenda, suas histórias, não viram os desenhos e nem os que os referenciavam? Pois então esse filme é um bom início, ele te apresenta Athos (Matthew Macfadyen), Aramis (Luke Evans, aqui está nosso rapaz) e Porthos (Ray Stevenson), os lendários 3 mosqueteiros, aos quais D'Artagnan (Logan Lerman) quer se juntar. E o filme se resume nessa busca e nessa reunião deles para deterem um golpe á monarquia. Ah e para as loucas por Orlando Bloom, a notícia de que ele participa ativamente do filme e arrasou no personagem.
    É um filme de aventura, lutas, piadinhas; é quase impossível não se encantar com os personagens, particularmente eu tenho uma paixão pelo Porthos, não sei explicar, e pelo Aramis, talvez por ser um personagem religioso, mas que suas ações e funções são contraditórias com esse fato, além de toda a sensualidade que Luke Evans desempenhou nesse papel.
    Se forem ver esse filme, por favor não durmam durante o filme, como meu pai fez quando fomos no cinema... Eu quis morrer u.u Eu lá muito animada, e ele roncando, vê se pode... Esse filme vale a pena, traz história (matéria escolar mesmo), enredo, personagens vivos, ação em lutas, princípios como lealdade, honestidade...

  2. O Hobbit - a desolação de Smaug: Esse é o segundo filme da trilogia, é quando o personagem de Luke Evans aparece como Bard o pai dos 3 filhos, a família que ajuda os anões em sua jornada. Esse segundo filme é melhor do que o primeiro, admito, e o terceiro nem se fala. 
    Não pretendo me alongar muito aqui, porque por ser um dos meus filmes favoritos, e eu ainda estar atrás de ler os livros, eu planejo postar sobre essa trilogia separadamente no futuro, ainda esse ano, claro.
    Nessa etapa da história Bilbo Bolseiro (Martin Freeman), Gandalf (Ian McKellen) e o grupo de anões seguem á Montanha Solitária para retomarem a Pedra de Arken, um artefato escondido entre os tesouros que são protegidos e vigiados pelo temido Smaug. Enquanto isso algumas complicações na história começam a apontar, e só vão eclodir de fato no terceiro filme.
    Aqui segue o site oficial da trilogia, com curiosidades e tudo mais...

  3. O Hobbit - a batalha dos cinco exércitos: O último filme da trilogia, lançado em dezembro de 2014, me fez ficar ansiosa pelo desenrolar desse caos criado. De longe, esse foi o melhor dos 3 filmes, com muito mai lutas e intrigas, além de uma dose excessiva de drama -não vou perdoar você que fez o que fez com o Killi (Aidan Turner) -, e conta também com uma boa dose de amor -mas não daqueles melosos.
    Nesse filme os princípios ficam ainda mais claros e fortes; você sente, sofre e se anima com os personagens; você imagina mil e uma saídas para cada emboscada... É a parte onde tudo pode acontecer, e de fato tudo acontece, principalmente o que nós não queremos... Você perde um ou outro personagem mas se segura nos outros, se segura pelo mistério de "com quem vai parar a Pedra de Arken"; se pudesse, você mesmo entraria no conflito só para ajudá-los, mas no fundo sabemos que as coisas acabam como tem que ser...
    Se você quer saber o destino da Pedra de Arken, de Smaug, dos anões, dos reinos, de Brad (nosso incrível Luke...) e de tudo dessa louca viagem; aconselho que corram e procurem a trilogia toda e assistam um por um, até o último do cinema *-*
    Eu confesso que senti meu coração apertar quando revi o trailer haha


                                         


    Bom, espero que tenham gostado do Luke, e dos filmes, ambos são maravilhosos haha.

Planos 2015 Part ll

12 janeiro 2015 2 comentários

Música: Uma gota no oceano - Nx Zero

Porque nem tudo nessa vida é como a gente quer e é isso que a torna um eterno desafio. — Marck

Como são muitos planos e projetos, vou por em tópicos, que fica mais fácil, e bem mais visível a minha maluquice. Porque dar conta de tudo isso, é tipo um treinamento para vida futura (mulher + mãe + profissional + estudante + dona da minha casa + familiar alheia + mil e uma tarefas ai). Fácil? Nenhum pouco, mas se eu quisesse coisa fácil eu estaria até hoje fazendo miojo...
  • Medicina: Como as coisas não estão fáceis, eu fiquei muito tempo sem estudar ou me dedicar nesse sentido, e eu ainda não exatamente como organizar a minha vida com esse curso caso eu consiga passar uma hora; eu vou optar por fazer as provas da 1ª e 2ª fase - da UNICAMP,da USP e da UFSC- em casa mesmo, naquele esquema lindo de concentração e tudo mais, como se eu estivesse realmente lá, a diferença é que não vou me desgastar saindo de casa e nem pagando mais de R$100,00 (situação financeira não está das melhores também). E o ENEM não vai me escapar, tanto é que já me matriculei em um site específico de estudo para isso, já que só fiz ENEM uma vez na vida, e faz uns 3 anos já...Aqui, eu vou relatar como vai ser esse caminhar, minhas conquistas e falhas nesse percurso e tudo mais, como minha rotina de estudos, a quem eu recorro...

  • Projeto Verão: Isso mesmo, sem ano ou data, porque é algo que leva tempo e que praticamente nunca acaba, uma vez iniciado o processo. Eu já fui muito mais gorda do que sou, muito mais feia também - sim, isso é possível moçada haha- só que eu também sei que quando eu decido mudar a situação eu mudo. Eu estava MUITO largada a 4 anos atrás, que foi quando pesando 92 kgs eu decidi o que queria para mim e fechei um pouco a boca e fui para uma academia; não durou tanto por problemas financeiros e de organização temporal, mas ok; fiquei parada um ano e em Janeiro (20/01/2014) eu reiniciei em outra academia, e peguei mais pesado, nessa época eu já tinha atingido meus 85 kgs mais ou menos. E no começo de 2015 eu atingi a minha primeira meta nesse sentido, cheguei aos sonhados 76 kgs -mesmo depois do Natal (milagres acontecem haha)- e como não sou de me contentar com pouco, vi que a 1ª etapa foi vencid, a muito custo e enrolação, mas foi; agora a parada fica mais complicada e vai exigir muito mais atenção e dedicação, rumo aos 68 kgs, e depois disso eu juro que sossego haha. Só para não pensarem que sou louca, eu tirei meu mmc sim, estou já dentro do saudável e normal, e com 68 ainda é considerado assim, só abaixo dos 59 kgs é que a situação complica, e eu não pretendo chegar perto dessa marca, afinal meus 1.77m não aguentariam.Claro que com isso tudo que sempre fiz, não demorou só porque sou meio largada ou não me empenhei o suficiente, ou não tive tanta presa; mas também porque enquanto emagrecia eu quis definir mais meu corpo, e isso leva tempo, dor e esforço. Fora minha alimentação meio desequilibrada, logo a minha que devia ser impecável; mas já estou cuidando disso, vou consultar uma nutricionista boa em breve, já que dou trabalho a essa ala, pois sou meio complicada: diabetes+doença celíaca... Fica um pouco limitada a situação, mas vem melhorando, garanto.Eu planejo, quando eu parar de ser tão vergonha, expor algumas coisas aqui, como o meu antes e o meu agora, e um possível depois; dicas que eu li ou ouvi que me foram úteis, sugestões, exercícios; enfim, coisas do gênero, que podem ser úteis a alguém.

  • Projeto Quarto dos Sonhos: Esse não depende só de mim, aliás depende de muito mais coisa e gente; tipo: mãe, pai, financeiro, trabalho, bom gosto, lojas, entregas, espaço, criatividade e inspirações. Eu estou ainda no começo da imaginação dele, já tenho algumas ideias; umas eu já estou começando a rascunhar no manual, como não ter mais um computador de fato, visualizando uma mudança de escrivaninha, organização da papelada que vai ter que sumir do meu quarto no máximo em 2 anos... São coisas que demoram, mas que aos pouquinhos vão dando certo, mesmo porque é MUITA coisa para mudar, e demanda boas quantias em dinheiro -que eu não tenho.Com paciência eu chego lá, um porta lápis aqui, um abajur acolá... Pesquisando preços, o que é sempre importante; procurando ofertas imperdíveis de verdade, e por ai vai...Para terem ideia, só a cama vai continuar a mesma e a janela, tudo vai mudar, os lençóis, concha, até a porta -se me derem o aval- eu vou personalizar, a televisão, o raque vai sumir, vou por prateleira, arrumar meus livros, ter um mini rádio, um lugar para organizar CD's e DVD's...E eu vou amar se vierem com ideias novas, principalmente as incomuns, ou dicas de sites de inspiração... Que é o que vira e mexe eu vou achando ai. Espero que eu consiga, porque meu primeiro item está dando muita briga lá em casa: meu armário dos sonhos, e nasci para ele e ele para mim haha Mas isso é história para outro dia, ainda estou um pouco traumatizada e correndo atrás dele.E durante esse processo eu vou procurar gravar a situações do meu alvo (vulgo: quarto) para gente acompanhar esse evolução monstra, que vai ser tudo de bom, e vai cair como uma luva para a nova Sarah.

  • Projeto Escrevendo a Sorte: O que seria isso? Bom isso seria todo o meu campo da escrita, desde meu tumblr pessoal de citações até a escrita do meu tão sonhado livro -que até hoje apenas habita minha mente.Tempo útil e hábil para isso eu terei pouco, confesso; mas quem quer e sente o que faz, faz em qualquer lugar, a qualquer hora e em 5 minutos algo com essência. Sempre amei escrever e não vai ser agora que vou parar, vou começar pelos projetos mais antigos, como os das fanfics, ou terminar a história em série que comecei a escrever capítulos semanais nas aulas de redação do meu 3ºEM.

  • Trabalhos: Para quem não sabe, eu nunca trabalhei. Sempre quis ser útil, começar minha vida profissional, sem ter medo de me imaginar em coisas difíceis como vendedora, babá ou secretária... Comecei a ter sorte no final de 2014 com uma proposta tentadora e muito vantajosa, e agora nesse ano venho recebendo ajuda da minha madrinha para me encaixar em empresas, o que seria bom também, apesar do caos que é o trajeto até o centro...Eu não tenho a menor ideia do que vai acontecer, e nem como vai; só sei que esse ano eu começo de fato a escrever minha história nesse sentido também; sei que não vai ser nada fácil, que vou ter que ter disciplina, que agora vão estar contanto comigo... Mas como diz meu pai: "Já passou da hora." Vou criar responsabilidades sim.E eu sou louca sim, sou das que acham que a gente tem uma vida inteira e que podemos muito bem nos darmos ao luxo de experimentar um pouco das várias coisas e oportunidades que tem o mundo, por que não? Tudo é experiência, tudo agrega, tudo tem portas escondidas... Vai que numa dessas caixinhas de surpresas, a gente não se descobre mais feliz?

  • Tatuagens: Para a maioria pode parecer bobagem, mas isso é sim importante para mim. Eu venho lutando para conseguir uma tatuagem a anos, e finalmente consegui o aval dos meus pais, mesmo porque agora são 2 - que contarei depois- e para isso acontecer eu só preciso do aval médico da minha lindíssima endócrino, eu vou fazer por merecer, mesmo que eu espere até abril... Porque o lugar eu já tenho, é confiável e indicado por alguém próximo e da família; eu já té fui lá com meu pai conhecer o local e conversar com a tatuador, o que foi muito motivador, porque ele não quer apenas ganhar dinheiro, batemos um papo bem legal.E isso é outra coisa que vou tentar registrar passo a passo aqui, e torcendo para que eu consiga até chegar a postar um vídeo curto com as minhas 3 tatuagens feitas haha( eu falei 2, porque são 2 agora, a 3ª já sei o que quero, mas não precisa ser agora, não tenho pressa).

  • Viagem Programada: Outra LONGUÍSSIMA história, que vai demandar uns 3 posts futuros, mas basicamente será a minha luta de 5 anos para viajar até Santa Catarina e encontrar minha melhor amiga; e também sobre as dificuldades que vamos ter -eu e minha família- para viajarmos até Pernambuco para conhecer meus parentes de lá, e principalmente meu único avô vivo.Eu espero ter boas notícias esse ano sobre esses desejos, porque fiquei muito tempo na espera, ansiosa, e nunca veio a acontecer, quem sabe não é agora?
  • Shows: Esse é mais tranquilo, embora demande uma boa quantia financeira, sorte ao encaixar horários, e ainda mais sorte para ter quem eu gosto aqui no Brasil. A princípio eu só tenho quase certeza sobre Março, ir ver o Paulo Gustavo de perto *-* (e isso é teatro, mas não deixa de ser um show, um espetáculo),e que quero ir em algum show até o final do ano. Já estou pesquisando para ver se as bandas que gosto estão programadas para cá e se não ficará muito caro; bandas que venham solo, não para festivais e essas coisas... Estava cogitando Maroon 5, Ed, Strike; ou até mesmo alguma dupla sertaneja como Jorge e Mateus, Fernando e Sorocaba, ou até mesmo o Lucas Lucco, por que não?
A princípio, são esses tópicos, claro que com eles vêm muitos mais... Vem o crescimento pessoal, o amadurecimento, etc. Não consigo muito bem pré-definir com exatidão como isso vai se dar e nem se tudo isso vai vingar, mas são planos, são projetos, estão ai para isso mesmo, para serem tentativas e possibilidades, e eu estou com gás e pique para tentar experimentar cada um deles com vontade e coragem. Espero conseguir superar todas essas barreiras e muralhas que eu escolhi passar, sem perder a graça disso tudo também.

Primeira Play de 2015

11 janeiro 2015 Nenhum comentário

Aos poucos, minhas palavras começam a dizer muito com o pouco que as escrevo. — Lucas Avelar

Primeira Play do ano, vari ser um pouco diferente e sem ordem, sem roteiro, eu vou agrupar por alguns quesitos algumas músicas e encaixar nos dias da semana de acordo com o meu feeling sobre como vai ser essa semana, espero que vocês gostem.

  • Segunda-feira: Vamos começar pela minha diva radical e estilosa. Eu acompanho o trabalho dela a anos, desde da época do Camp Rock e tudo mais, e é inesquecível o show -único de minha vida- do Jonas Brothers, no qual ela participou e arrasou, tanto é que até minha mãe se apaixonou e a achou muito talentosa. Eu separei 3 músicas que eu, particularmente, gostei muito e descobri recentemente. A minha favorita é a última, aliás, com o Olly *-*



  • Terça-feira: A minha terça eu vou deixar nas mãos, ou melhor, na voz, de uma menina que vem conquistando geral e fazendo parcerias incríveis.Para quem não a conhece, é uma ótima oportunidade... Eu adoro o jeito dela, o estilo... Arina Grande é uma graça. Dessas, a minha favorita é a segunda, mesmo porque, como não amar essas 3 mulheres juntas? Ariana, Jessie e a Nick?




  • Quarta-feira: Normalmente, é um dia mais difícil, mais lento, meio da semana... Então preciso de uma voz mais forte e com energia, e quem melhor do que a autêntica Meghan Trainor? Para quem não sabe, ela andou estourando nas rádios com o hit All about that bass, e recentemente eu ouvi seu novo trabalho, e posso garantir, MIL vezes melhor e muito mais divertido, eu já até decorei a música haha.


  • Quinta-feira: Por a Meghan me lembrar de outra cantora muito boa e pela qual eu também tenho paixão (paixão artística ok?) eu deixo minha quinta com a poderosa Taylor Swift que no final e 2014 foi com tudo e estourou novamente com 2 hits inesquecíveis. E eu nem preciso dizer qual eu mais amei, certo? Mencionei o mesmo clipe algumas vezes por aqui, e o quanto eu achei interessante todo o trabalho, desde a letra, até o clipe final e sua história.




  • Sexta-feira: A tão esperada sexta chega, e provavelmente, a minha chega com muitos afazeres e programas, afinal as férias não são infintas, correto? E quem melhor do que os meninos do Nx para ficarem encarregados de me animarem frente a um final de semana cheio de afazeres? E adivinhem quais são minhas 2 favoritas? Isso mesmo, as 2 primeiras daqui.



  • Sábado: Eu nem consigo imaginar como vai ser o meu sábado, mas prefiro acreditar que vou dar conta do recado. E como a gente precisa começar já animando, porque não chamar um jovem que vem animando até demais a mulherada? As fãs do Lucas Lucco estão cada vez em maior número, ele ainda será raptado por umas delas, sério haha é muito amor...
    Eu escolhi músicas um pouco mais antiguinhas, mas que eu gosto, principalmente a primeira, me acabo com ela... 



Bom essa foi a primeira play do ano e espero que tenha ficado legal e bem misturada. Até amanhã. Ah, e quem sabe essa semana eu não chego com novidade por aqui? Vamos torcer...

Planos 2015 Part l

10 janeiro 2015 Nenhum comentário

Música: Lips are movin - Meghan Trainor

O que define o ser humano é a imperfeição. — Pérfido


É quase impossível descrever tudo o que se passa na minha mente mirabolante, mas vou compartilhar mais um pouco dos pequenos projetos que planejei por esse anos ai, e que pouco tive de coragem e vergonha na cara de levar para frente.
Felizmente veio alguém de fora e esfregou na minha cara o quão vergonhosa estava ficando a minha situação; foi bom porque eu pude acordar e começar a me mexer, claro que nada vai apagar ou preencher o tempo que passei parada e de bobeira só vendo a banda passar, e obviamente - também- que eu aprendi e muito até com esse período mais inútil e improdutivo da minha curta vida, basicamente aprendia  observar bem, fazer análise conexões e a julgar muito bem as situações, aprendi ainda mais sobre mim e meus princípios, até hoje pouco explorados... De forma alguma eu parei estaticamente no tempo, eu cresci em um ritmo lento, mas o suficiente para que eu pudesse ter impulso para o Agora, que é importante.
Essa pessoa abriu meus olhos par o meu potencial para me tornar feliz de novo, aponto o dedo para a minha covardia comigo mesmo - como pude desistir de mim, assim tão fácil?- esfregando o dedos nas feridas que não cicatrizaram direito e da forma correta. Agradeço todos os dias por essa pessoa ter me dado chão para voltar a correr. Mas não correr de algo, ou alguém, no máximo, correr para algum lugar, de encontro a um lugar melhor, mas talvez nem isso... Talvez apenas correr pelo percurso mesmo, que pode ser muito melhor do que o ponto de partida e mais ainda do que a linha de chegada; aquela corrida com cara de caminhada em um dia de primavera, que não cansa, mas motiva, que não tira suas forças, mas que dá energia para continuar indo cada vez mais longe. Duvido, hoje, que há alguém que possa me parar.
Não vou parar de sonhar e nem de planejar, só vou começar a por em ação simultaneamente. Por exemplo: Quero medicina, mas durante esses 3 últimos anos eu fiz absolutamente N-A-D-A pelo meu sonho, apenas fantasiei; chegou a hora de ir correndo atrás porque esse sim é um dos caminhos mais longos e duros que vou enfrentar, e que ninguém pode passar por mim e nem me colocar na trilha, eu preciso criar essa trilha, passo por passo.Isso quer dizer que esse ano eu já comecei me programando para estudar especialmente com esse fim. Serei muito mais séria nos estudos, vou tentar poupar e otimizar cada mínimo tempo que eu tiver, porque um sonho não pode atrapalhar outros, e muito menos minha rotina ou a realidade. Eu tenho compromissos, responsabilidades e comprometimentos, fora as fases normais da vida que vão vir com tudo.Sem mencionar ainda o quesito familiar, do qual eu andei me isolando, fugindo e fechando os olhos; e que também faz parte do me colocar no mundo, do lidar com frustrações, do aprender com o Outro, do trocar experiências, do vivenciar algo novo... Eu preciso resgatar -mesmo que seja aos poucos e com poucas pessoas, em ambientes limitados...- esse contato familiar, fazer com que o sonho da família do sonhos estampados nos filmes americanos de família feliz e unida, não sejam apenas filmes e utopias; não digo que famílias são daquele jeito que mostram e ilustram, mas que elas também podem ser daquele jeito, e não só como o são; e que eu faço parte da situação familiar que temos, que me colocar a parte não me desliga de fato dela, se estou no time, tenho que considerá-lo meu time para que possamos ganhar, e esse o meu desejo daqui pra frente.Comecei a passos curtos e de tartaruga, ficando mais onde queria ficar, passando mais tempo com quem merece minha atenção e carinho, testando novas aproximações, expandindo minhas interações... Criando histórias com eles para poder contar e lembrar. Afinal, um dia é tudo o que seremos, não? Histórias e histórias; então, que sejam boas de serem narradas, e melhores ainda de serem vividas.E não é só uma questão de me colocar na vida alheia, mas sim um desejo novo de colocá-los, encaixá-los e amontoá-los na minha vida, de forma natural, claro. Não quero carregar vazios, e muito menos arrependimentos, ou inutilidades; quero conteúdo, quero extrair - da forma mais plena dessa palavra- o Melhor de cada um, sem piedade, fazê-los me mostrar o que de bom existe neles; porque me recuso a aceitar ou acreditar - até mesmo a suspeitar- que tem Pessoas-quaisquer em minha vida, no meu caminho, elas não estão ali atoa e não podem ser coisa atoa.E esse talvez seja o meu maior defeito: eu não aceito menos do que o Melhor.
Por hoje é só, beijos; vou ali capotar lindamente.

Que seja diferente. Que seja vivo.

08 janeiro 2015 2 comentários

Música: Marjorie Estiano - This Love (cover)

E se der medo, vá com medo mesmo. - Alguém inteligente
O melhor ano da minha curta vida começa agora.

Ano novo, vida nova... E todo o clichê bem clichê. Mas esse ano não só vai ser diferente como já está sendo, eu senti isso nos primeiros dias, parecia que o verdadeiro (pelo menos uma parte dele, vai...) significado de viver e sentir me invadiu, como a tempos eu pedia para acontecer. Fiz as coisas porque eu queria, e não só por fazer; curti de verdade cada minuto que pude, aproveitar pra aprender coisas onde antes eu nem daria ouvidos ou atenção. 
Fugi dos meus padrões. E que bom... Porque eu estava bem infeliz. Quem sabe, mudando todas as minhas rotas e estruturas, eu não fique mais contente e satisfeita? Não custa arriscar, eu não tenho o que perder; já que tudo o que conquistei com dificuldade nesses últimos 2 anos não tem como regredir, nem sair correndo de mim mais.

-"Ok, mas o que vai mudar agora Sarah?"R:Tudo. Incluindo aqui.
- "O que você quer dizer com isso?" 
R: Isso aqui vai ficar mais íntimo, mais alto... Basicamente, vou relatar aqui minha busca em um dos meus sonhos, a tão sonhada Medicina. Ou seja, tudo o que eu fizer nesse caminho, o que eu encontrar nele... E também documentar a evolução do Projeto Quarto, que é a transformação do meu e o que eu pretendo com isso...
-"E o que mais?"
R: Ah, eu não pensei ainda... mas talvez, SÓ TALVEZ, eu comente sobre outros projetos, tipo a história que comecei a escrever. E minha vida escrita, essas coisas...


Então basicamente, vai ser O meu ano, vou ter que amadurecer muito, crescer muito mais rápido, encarar responsabilidades maiores; e tudo ao mesmo tempo, sem perder a graça, o equilíbrio e a minha idade.
Quase 20 primaveras, já passou da hora, não? Por mais assustada que eu esteja, estou ansiosa pelos desafios, que provavelmente me levarão a outros. Posso estar um pouco perdida também, sem saber ao certo por onde começar; mas creio que só de começar, eu já estou tomando o caminho certo, e se não o for eu posso mudar de percurso quando bem entender. É, isso se chama liberdade, e é dela que eu mais senti falta, e é o que mais desejo.

Sobre 2014: o que tenho a dizer é que marcou, e muito; foi muito importante, principalmente porque ficou nítido (preto no branco) o quanto eu mudei em 12 meses.
Alguns traços meus estão irreconhecíveis, e espero que isso não pare por ai. Eu preciso me colocar mais no mundo, na minha própria vida e na vida de quem quer que eu me coloque nela; preciso tirar o pó da minha essência que ficou acoada por tanto tempo. Faltou peito ( não no sentido anatômico da coisa haha) e coragem para me ver no espelho e aceitar (literalmente e não-literalmente), e agora que comecei, eu vou até o fim, e parece um lindo "Fim". Então, fechei sim com chave de ouro 2014, deixei muito a desejar, mas quem não deixa? Fiz o que pude dentro das minhas limitações, agora são elas os meus alvos. Mas tudo com calma e sem afobação, correndo eu só chegaria suada, cansada e me arrastando, e não é bem assim que imagino meu amadurecimento...
Estou sonhando alto demais? Não, obviamente não. Não foi uma vez só não, e nem duas, que me disseram (e não é prepotência, nem nada...) que eu tenho tudo o que quiser nas mãos, o que eu quiser eu consigo. Agora eu acredito nisso, porque não pode ser só pura sorte, tem que partir de dentro de mim, e dentro tem uma chaminha que atrai as coisas boas também, que grita querendo ganhar força, e eu vou alimentar essa chama dia após dia, mesmo que eu me queime um pouco. Acreditar em si mesmo, buscar o que se quer, não é errado, desde que você veja os fatos como são também, não desconsidere ninguém, e essas coisas mais...
 
Ah e antes que me esqueça, a única foto -mais apresentável e postável, que por acaso foi no dia da virada do ano, o meu tão esperado ano- do meu cabelo é essa; e não dá para ver muito (quase nada, admito) o corte que mencionei, mas a cor dá para ver sim, acho que é a única coisa que realmente dá para ver ai. Não se assustem, nem saiam correndo, eu continuo sendo a mesma pessoa maluca que fala demais e sozinha e é meio legal haha.

Bom começo de ano, e que 2015 seja do "caralho" para todos (que merece)!

Paixão é o que te move?

06 janeiro 2015 Nenhum comentário

Música do dia: If I never see your face again - Maroon 5 feat Rihanna


Ingênuo era eu, que recebia marteladas e procurava melodia nas batidas. — Sean Wilhelm. 

Já se apaixonou? Acho que a maioria diria que sim. Mas alguém consegue me definir conceitualmente uma paixão? Porque quanto mais penso sobre, mais a vejo como um conceito fragmentado, onde a totalidade é maior do que a soma de todas as suas partes; um conceito que voa e não se deixa aprisionar ou rotular. Algo que não quer ser compreendido, mas sim vivido.
Tendem a separá-la do amor; mas a vejo diferente, ela o compõe, ela é o seu combustível, sabe? Porque o amor é algo ambíguo em si só, ele precisa de algo que o tire do caos, e o leve para outra dimensão. Ela deveria ter esse efeito né? Isolar um pouco da realidade cruel e esmagadora, dando espaço para os sentimentos mais puros e impensados, você acaba agindo sem saber. Talvez seja por isso que dizem que a Paixão é perigosa, mas me atrevo a dizer, que a falta dela é que o é.
Quem vive em constante Paixão -seja por alguém, por algo ou sem motivo aparente- tem aquele ar diferente, parece que flutua, que é imbatível a algumas coisas banais; ousaria dizer que atingem um outro plano de vida. Fica mais notável que sua alma transborda. Acho que a paixão serve também para preencher, e ao mesmo tempo eliminar os excessos que aprisionam uma mente que tem necessidade de ser livre, de voar; a paixão desamarra essas asas e dá o impulso, te convence a ir sem muito olhar para trás. Seria a tentação do caminho já tomado que se sente ameaçado a ser largado por um outro que tem lá seus atrativos.
Não é a toa que tenho medo de me apaixonar por algo ou alguém; mas ai quando vi, já era... Eu já me apaixonei por algo, estou apaixonada por esse algo, se tornou meu único rumo, onde quero chegar, não importa quantas rotas eu precise encarar só na cara e na coragem... Medicina é a minha paixão. Não sei porque a escolhi, ou foi o contrário... Bom, eu também não saberia. É meio nublado o departamento dos porquês, mas eu me enxergo lá, sendo aquilo. Se vai dar certo, ou não, durante todo o percurso é outra questão; e eu sinceramente duvido, sempre tem imprevistos, a rota muda um pouco e se torna mais graciosa. A paixão é o combustível, se depender dela eu chego, a minha vontade é pelo Amor; e a mim, resta me deixar levar.
Vocês já se apaixonaram? Fazem ideia de como é? Os sintomas de tal relação afetiva... Como foi passar por isso? Aliás... já passou? Haha Não sei se é o tipo de coisa que passa, acredito que apenas dê um tempo, ou se transforme em outra paixão com algum nível de semelhança, não?
 
Desenvolvido por Michelly Melo.